terça-feira, 18 de abril de 2017

Spoilers A Escolhida - Nightshade

Saudações Amantes da Irmandade!!!

Olhem eu estou, que estou! Faz anos luz que este email [ email que a Nightshade mandou-me] está a espera de saltar para o blogue. Sou culpada!


Mas é tanta coisinha aqui na minha bidinha, que não vos digo, nem vos conto. É certo e sabido, que muito em breve estarei internada no Miguel Bombarda... Céus... eu matava um por um cigarro agora... 


Mas vamos lá... antes publicar aqui, volto a ressaltar.....





SPOILERS 

..............
 
SPOILERS 

 ............
 
Bem... Que não digam que não avisei!
.......
..............
.........................
SPOILERSSSS 
Se continuas aqui é porque és como eu.... amas ser torturada e que te façam sofrer 😄
Agora irei passa a palavra a nossa querida Nightshade 

A Escolhida



- Para quem ainda não leu este livro, preparem-se. Este livro deveria chamar-se ‘As Reviravoltas’ de tão emocionante e surpreendente que é. A sério!
- Tentei por tópicos revelar o principal que se passa no livro, o objectivo não é traduzir nada, é só dar-vos a conhecer de uma forma resumida os momentos de interesse do livro. Espero que gostem.
Aqui vai… preparem-se… SPOILERS!!!
- Hharm, pai de Xcor e Tohr revela-se, sem sombra de dúvida, um grandessíssimo cabrão, já se sabia que assim era, mas desta vez é pior. O gajo é mesmo um FDP. Vejam lá que o gajo prometia acasalar com fêmeas se lhe dessem uma cria macho. [A sério?! A sério?!]

- Tohr tem motivos emocionais muito fortes para querer matar Xcor, desrespeitando a vontade do Rei de ‘não o matar… ainda’. Não consegue perdoar Xcor por ter baleado o Rei no pescoço, tendo que o salvar com uma caneta e… o facto de ser o aniversário da morte de Wellsie, emocionalmente ele está muito instável. Xcor acaba por se tornar no bode expiatório perfeito.

- Qhuinn perde as estribeiras, completamente. Enlouquecido e furioso, abraça o seu lado negro da força que nem Blay consegue escapar. Aqui o nosso belo Qhuinn até podia ter razão pela fúria, mas exagerou em grande medida. É mesmo à Qhuinn. Só faz merda e olhem que é da grossa, até a Irmandade perde a paciência com ele.

Imaginem só…

- Quando Layla, inocentemente, conta a Qhuinn que nunca tinha parado de ver Xcor e que o amava, aqui o nosso rapazinho, chama-lhe mentirosa e traidora, entre outras coisas muito feias; que sempre que ela ia visitar o traidor expunha as crias dele ainda por nascer em perigo (esta é a verdadeira razão da sua fúria) e… exige que ela saia da mansão e que se esqueça que é a mahmen de Lyric e Rhamp. (O Quê?!) Pois…

- Claro que as fêmeas da mansão vão-se juntar e ajudar a resolver o problema, quem é que Qhuinn pensa que é?! O Rei?! Já devia de saber que fêmeas juntas, machos em sarilhos.

- Blay, por seu lado, fica magoado com as palavras de Qhuinn, que praticamente disse-lhe que não tinha direito a opinar porque não era o pai biológico. (O Quê?!) Pois… Como castigo, Blay deixa Qhuinn, volta para a casa dos pais e resolve dar-lhe uma lição por tê-lo tratado como um macho qualquer. [Bem feito! Acreditem, Qhuinn mereceu!! E sofreu…]

- Vishous, ai o Vishous… Descobre a sua veia romântica, ajuda quem não quer ajudar (Xcor e Layla) porque lhe faz lembrar quando quase perdeu a Jane… e fica enjoado consigo próprio. Simplesmente hilariante. Mais, quando interage com Rhamp é demais!! (Quando Vishous pega-o ao colo e fita o olhar do pequenito, este mostra desde logo a sua alma guerreira. Como? A olhar fixamente para Vishous, encara-o como um inimigo. Amor à primeira vista!)

Quem diria que Vishous iria gostar tanto da atitude do puto, hein?! Até lhe prometeu aulas de luta e que lhe iria dar adagas forjadas por ele, até pareceu estar a portar-se como um pai orgulhoso quando olha para um filho e sabe imediatamente que está perante um futuro guerreiro, mas claro… Vishous não se interessa por crias. [Pois… está bem… convence outra, ok?]

- Respeito e vénias profundas a Layla, revelou-se uma fêmea de valor, forte, com carácter e coragem, mas isso já nós sabíamos. É só pena que continue a rezar à Virgem Escrivã, mesmo sabendo que tal entidade já não se encontra com eles.

- Xcor teve uma vida fodida, o que explica muita coisa. É só desgraças. Uma série de desgraças. A verdade é que no fundo ele é um bom macho, só não teve oportunidades na vida para o provar. Felizmente, neste livro teve todas as oportunidades.

- Trez é um gajo com muita sorte, apanha um susto de morte quando olha para uma fêmea chamada Therese, que é… preparem-se… a cópia perfeita de Selena. (O Quê?!) Pois… O que interessa é que o amor está no ar, mesmo com alguns conflitos emocionais. [Não esquecer que Selena e Virgem Escrivã no cemitério das Escolhidas conversaram e não sabemos muito bem o quê, certo?]

- Throe… danado com a glymera, desiludido com o Bando de Bastardos e de guerra aberta contra a Irmandade e a sua obsessão pela coroa, pois ele autoproclamou-se melhor que Wrath para reinar os vampiros (coitado!), resolve pedir ajuda… preparem-se… ao Ómega. (O Quê?!) Pois… Vai até a casa de uma psíquica, mas em vez de encontrar alguém, encontra um livro muito antigo, com uma capa cuja pele é muito estranha e cada página contém símbolos escritos na vertical e muito juntos (Oh, meu Deus, não vos faz lembrar nada?!). O que é facto é que o idiota do Throe começa a ser controlado pelo livro. Em contacto com o sobrenatural prospera como vilão.

- Wrath revela-se cada vez mais o Rei que pensava que não conseguiria ser. A forma como resolve o conflito de Qhuinn-Layla-Xcor e as crias são excelentes, justas e correctas. (Obrigada Beth) Layla agradece e Qhuinn fica puto da vida. A partilha das crias é 50-50, em dias alternados. Qhuinn fica com as crias na mansão no dia dele e no dia da Layla ficam com ela no Outro Lado no Santuário da Virgem Escrivã. E Xcor… Xcor fica a conhecer a sensação de ser dada uma segunda oportunidade. Tem que procurar os outros Bastardos, apresentá-los perante Wrath e provarem a sua lealdade e depois podem regressar com vida ao País Antigo.

- A relação de Xcor e Layla evolui física e emocionalmente e Xcor revela ser um macho mesmo muito carinhoso e piratinha J As cenas íntimas só são muy, muy calientes!!

- Tohr fica possuído quando percebe que Wrath deu uma oportunidade para Xcor se remediar perante a Irmandade e conspira com Qhuinn para o caçar, pois… no campo de batalha ‘acidentes’ acontecem. Só que… quando estão quase a matar Xcor, ao ponto de Tohr conseguir acertá-lo com um tiro, o telemóvel de Qhuinn toca. É Blay com um problema, a mãe dele tem um tornozelo partido e tem que ver Jane e Manello, mas como uma forte tempestade de neve está a cair, o carro fica atolado na estrada e o nosso Qhuinn resolve, e muito bem (vá lá!) escolher o amor à vingança acabando por arrastar Tohr com ele.

Blay ainda não quer nada com Qhuinn, ficou mesmo magoado com a revelação de que não era ‘pai’ das crias e tem uma discussão com Qhuinn, mas este, cabrão como sempre, aproveita a oportunidade para combinar uma visita a casa dos pais de Blay com as crias para ver se consegue resolver as coisas entre eles… e Blay diz que não vai estar nessa noite em casa dos pais. Qhuinn, mesmo assim não vai desistir do amor da vida dele.

- Entretanto, a saga dos humanos que querem provar que os vampiros existem continua, mas Vishous está sobre o assunto e chega à conclusão que um dos humanos, misto de jornalista e fã de presas, está muito perto da verdade e que tem de ser contido. Então começa a eliminar vídeos do youtube de empreitada.

- Xcor consegue encontrar os restantes Bastardos, conta-lhes o que se passou com Wrath, eles aceitam as condições, mas a lealdade só para com Xcor, mas como este é agora leal ao Rei, os Bastardos também o são, mas só respondem a Xcor, este acaba por aceitar e ter de contar ao Rei a decisão dos Bastardos.

- Lassiter revela a Layla que a Virgem Escrivã o nomeou como sendo ele a entidade dos vampiros, mas pede-lhe segredo. Depois tenta com ela arranjar um nome para o chamar, pois, nas palavras de Lassiter, não é virgem e não gosta de escrever. Mais à frente no livro Layla em vez de rezar à Virgem Escrivã, reza para… preparem-se… Maisquesexy Lassiter (Oversexy Lassiter). [Ai, mãe! Imaginam os Irmãos chamá-lo assim? Pois… nem em sonhos!!]

- Qhuinn ao visitar a casa dos pais de Blay, descobre que afinal este encontra-se em casa e no fim do jantar larga uma bomba à Qhuinn. Qhuinn junto com Saxton e com a aprovação final do Rei renuncia os seus direitos como pai e passa-os para Blay, a única forma que arranjou para provar a Blay que o que disse foi mesmo não intencional por mais revelador que tenha sido. Qhuinn nunca vai deixar de ser o pai biológico, mas agora, perante a lei é Blay quem exerce os direitos de pai. Blay fica estupefacto, mas mesmo assim ainda não se encontra preparado para regressar com Qhuinn.
- Com a perspectiva de Xcor ter que se ir embora com os Bastardos para o País Antigo e ela não poder deixar as crias, Layla sente-se triste e desanimada. Entretanto ela encontra-se com Tohr e confronta-o pela caça que está a dar a Xcor junto com Qhuinn e pelo tiro que lhe deu. Eles discutem fervorosamente e no calor das palavras, Layla finalmente revela a Tohr que Xcor é irmão dele de sangue. Tohr fica burro e estupefacto. [Pois é meu, a vida é fodida, não se pode ter tudo.]

- Perante o Rei, Xcor revela que os Bastardos só respondem perante ele e mais ninguém. Mas como Xcor é leal, através disso os Bastardos também o são. Wrath acredita e aceita a condição. Vishous nem quer acreditar. Layla revela ao Rei que Tohr e Qhuinn tentaram matar Xcor, conseguindo mesmo dar-lhe um tiro, este nega dizendo que foi um minguante, mas Wrath acredita na fêmea.

- Wrath resolve ir ter uma conversa com Tohr e… preparem-se… expulsa-o da Irmandade por desobedecer uma ordem directa. Aceitando o seu destino e tendo tido uma formatação na consciência, Tohr fala com Qhuinn e tenta chamá-lo à razão.

- Algo de muito errado se passa na relação de Vishous e Jane, ambos sabem que têm o trabalho deles para fazer, mas quando Jane diz que a relação deles não consegue evoluir mais do que já evoluiu, Vishous não sente tristeza, mas sim um vazio. O que será que se passa?

(Eu desconfio que pode ser por ele afinal não ser tão indiferente às crias como quer acreditar… e nós sabemos que Jane é um fantasma, mas será que ela também é indiferente a crias? Vamos ter que esperar por outro livro para perceber, só estou a especular, sabe-se lá o que a nossa querida Ward está a pensar J)

- Blay vai ter com Qhuinn e perdoa-o. Recusa as papeladas que fazem dele pai das crias e diz a Qhuinn que só quer a família dele de volta, Layla incluída. Estes são os termos e Qhuinn sente-se entre a espada e a parede. Mas Blay diz-lhe que se Qhuinn o desafiou a perdoá-lo, o mesmo ele deve fazer em relação a Layla e focar-se mais em perceber quem Xcor é e não no que Layla fez.

- Apesar dos receios de Layla, a reunião entre a Irmandade e o Bando de Bastardos vai mesmo acontecer. Na mansão da Irmandade Wrath resolve dizer a Tohr que não está nada expulso da Irmandade, mas que fica algum tempo suspenso de funções. Tohr fica surpreendido mas percebe que o susto foi bem merecido. [Quem manda desobedecer o Rei? Hein?!]

- A reunião corre sem problemas, Bando de Bastardos e Irmandade fazem tréguas, Qhuinn ainda não acredita. Tohr vê Xcor como irmão pela primeira vez e fica surpreso pelo alívio de saber que têm alguém do seu sangue vivo, estende-lhe a mão e Xcor aceita. Entretanto ‘all hell breake loose’. Minguantes por toda o lado!! [De onde é que estes caralhos apareceram?!]

- No calor da luta, Xcor salva Wrath e Vishous, um dos Bastardos salva Qhuinn e este, quando estava mesmo a desmaiar fica com a panorâmica toda, Bastardos e Irmandade a lutarem lado a lado e… Blay e Xcor costas contra costas a lutarem. O amor da vida dele e aquele que jurou ser seu inimigo a lutarem juntos.

- No Outro lado, Layla socorre Lassiter que se vai abaixo, ele murmura que o que teve que fazer não foi fácil, que não tem a certeza de conseguir cumprir as suas funções, diz que a guerra tem de acabar, os minguantes todos têm de ser eliminados e depois dar conta do Ómega. [Meu Deus, foi Lassiter que levou os minguantes até ao local da reunião!] A profecia do Dhestroyer vai-se concretizar. E muito em breve.

- No rescaldo da luta, Xcor vai ter com Tohr e Wrath e… imaginem… Tohr pede a Xcor para ir buscar os médicos que não se encontram muito longe daquele local. Passado uns minutos… [foi giro de ler…] não os médicos, mas Fritz deu numa de Fast and Furious, Wrath é praticamente atirado para dentro do carro por Xcor, depois Tohr, mas este no último momento agarra no braço de Xcor e puxa-o para dentro do carro e Fritz acelera. Aí, Tohr revela a Xcor que são irmãos de sangue. Incredulidade e surpresa… e depois os dois machos abraçam-se. [Foi muito emocionante.]

- Na recuperação de ferimentos, Bastardos e Irmandade estão juntos na mansão, os médicos não têm mãos a medir. Mas tudo acaba em bem, excepto para Vishous que claramente anda em conflito com as suas emoções [Ai meu Deus, o que será que a Ward vai fazer com ele?]
- Blay e Qhuinn, finalmente voltam ao estado de especiarias no ar e promessas de noites de grande actividade física. [Yupi!!!]

- Layla fica destroçada quando Xcor lhe diz adeus. Com ele a regressar para o País Antigo, Layla vai à mansão para passar o dia dela com as crias, mas… é surpreendida com Qhuinn a andar lado a lado com… Xcor! [Boa!!] E finalmente, Qhuinn assume que estava errado, que exagerou, mas que só de pensar que as crias podiam ter estado em perigo levou-o ao limiar da loucura, etc… Layla simplesmente atira-se a ele, abraçando-o e pedindo desculpa também por não ter sido honesta desde o início. Mas depois… espera… Xcor e Qhuinn, mas que…?

- Última reviravolta, mas tinha mesmo que ser. Qhuinn insiste que Layla tem de ser acasalada como deve de ser, e como gosta da maneira antiga, o macho para acasalar tem que viver com a fêmea, portanto, Xcor tem que viver na mansão para acasalar com Layla… e claro… os Bastardos tiveram que vir a reboque. Wrath concordou, pois quantos mais soldados, melhor… [Está bem, ok, como se não soubéssemos que este vampirão aposta sempre no amor!]

Qhuinn é, sem dúvida, o grande idiota deste livro, só dá vontade de lhe dar um tareão, mas só porque a sua estupidez ilimitada e a mania de disparar primeiro e perguntar depois, não ajudar em nada a forma de ver as coisas. O que vale, é que no fim, ele aprende a lição e tudo acaba bem. Verdade J  O quarteto Layla-Xcor-Qhuinn-Blay acaba em perfeita harmonia. Ao ponto no fim… preparem-se… Qhuinn e Xcor conspirarem em dar cabo do macho que se atrever a cortejar Lyric. (O Quê?!) [Eu sei… surpreendente, não? Quem diria… melhores compadres…]

Pronto pessoal, espero que gostem!!

Nightshade


E então? Espero que tenham gostado... eu irei continuar ali a um canto a chorar baba e ranho enquanto espero eternamente pelo lançamento em PT 

*Nasan 

6 comentários:

Bem vem aí muita novidade isso é certo =).
É verdade ainda falta um bom bocado para o lançamento em Portugal, pelo menos no meio do tempo podiam ir lançando o legado por cá, enfim a esperança é a ultima a morrer.
obrigada por estas coisas para nos ir matando a curiosidade e deixar mais ansiosas pelo lançamento em Portugal.
Bom trabalho =)

Oi Nightshade!!!

Obrigada pelo resumo, parte já sabia, parte ainda não...

Mas já li o último capítulo (pois é sou demasiado cusca) e o melhor foi a foi o Blay a tomar o partido da Layla sobre que a Lyric tinha o direito de sair com com quisesse e afins, mas menos a "luta" está equilibrada... xD

Realmente... o pessoal passa metade do livro a pensar em abanar o Qhuinn e a dizer: "mas porque é que falaste?!?!", "Oh rapaz, não te enterres mais!!!" e afins...

O V tb me surpreendeu um pouco pela negativa e pela positiva... Para alguém que nunca mente, já lá vão dois strikes (salvo erro), para alguém que não gosta de sentimentos está a ficar um bocadinho melancólico (será o melhor termo?)

Acho que queria dizer mais alguma coisa... mas não me lembro xD

Bom trabalho,
Sunshine ;)

Quando nem um blog brasileiro não escreveu nenhuma nota por meu xcor encontro consolo no blog dos irmãos. Valeu amei.

ADORO IAN . O QUE MATA É A ESPERA PARA O LANÇAMENTO .

ola

Este e o ultimo livro ????????


VAI SAIR EM PORTUGUÊS?????

bj.:)'